• CG Advogados

LGPD - 4 dicas para o Agência e o Profissional de Marketing

A criatividade é uma das marcas registradas do profissional de marketing, que é um dos responsáveis para que os serviços e produtos da empresa sejam apresentados de forma mais atraente para seus prospects e leads.


Certamente, se você trabalha com marketing, seja digital ou não, você sabe que sua base de dados de leads pode ser considerado como principal tesouro! Afinal, é como dizem: “dados são o novo petróleo”.


Responda as perguntas (mesmo que mentalmente) sobre a sua base de Leads.

  • Como o Lead entrou em sua base?

  • Você tem como provar que houve consentimento deles para que os dados sejam tratados?

  • Se ele entrou na sua base com um formulário para baixar um ebook, ele foi informado sobre o que você faria com esses dados e por quanto tempo ficarão em sua base?

Se você não sabe responder ou resposta for negativa para uma ou mais opções, temos uma notícia para você! 


Com a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) você PRECISARÁ rever alguns processos internos, especialmente quanto a forma que você capturou ou captura os dados dos seus Leads e Prospects. 


O tema é extenso, mas a ideia é trazer dicas práticas para você começar a pensar na sua adequação, pois, isso certamente será um diferencial para o seu negócio, além de evitar multas e ações judiciais. 


Saiba que para captar ou manter dados pessoais (nome - email - whatsapp)  do seu Lead, você precisa de uma base legal. São 10 bases! Para o Marketing, as mais usadas são o Consentimento e o Legítimo Interesse.

Vamos falar sobre o consentimento:

-O Lead precisa conhecer a finalidade específica para qual ele está informando seus dados;

- Por quanto tempo os dados dele permanecerão na base;

- Quem é o responsável pela guarda dos dados e se serão compartilhados com terceiros:

- Prever os direitos dos titulares dos dados, etc.

Como o assunto no momento é o Consentimento, seguem abaixo 4 dicas práticas para começar um projeto de adequação da sua base de Leads e Prospects:

1 - Adequar sua landing page de captura! O Lead NECESSITA saber de forma clara sobre a FINALIDADE do que você irá fazer com os dados dele. Ou seja, precisa ser transparente com a FINALIDADE,  e prever opções em separada para as autorizações, ou seja, autoriza o e-mail marketing de conteúdo? para o recebimento de campanhas? autoriza o cadastro na base? etc.

É preciso ter como comprovar que ele aceitou e estava ciente!

2 - Não deixe as caixas de seleção de consentimento pré marcadas, ou seja, a manifestação quanto a concessão do consentimento deve partir do cliente com linguagem clara e de fácil compreensão. 

3 - Mantenha o registro do consentimento exatamente na forma em que os titulares dos dados foram informados para futuras comprovações.

4 - Faça um levantamento da sua base e REVISE os pontos acima, renove o consentimento, preveja a possibilidade de uma fácil revogação do consentimento e crie uma resposta aos pedidos de revogação.

Use o próprio e-mail para este fim, e caso não haja resposta quanto a concessão do consentimento, o mais seguro é eliminar os dados!

Sim, é uma medida dura, mas, caso o Prospect receba algum e-mail sem que haja seu consentimento expresso, as consequências podem ser mais duras!

Pense nisso!

Se você é profissional de marketing e tiver alguma dúvida quanto a aplicação da LGPD em seu negócio, estamos à disposição para te ajudar e montar um plano de adequação, que consiste nos passos:

1 - Conscientização da empresa e do time 

2 - Mapeamento dos dados (data mapping)

3 - Gap Analysis (diagnósticos pelo grau dos riscos)

4 - Planejamento da implementação (revisão e elaboração de documentos)

5 - Monitoramento de cumprimento

6 - DPO As a service


Crialesse e Garcia Advogados pode te ajudar a entender esse e outros pontos, além disso, conseguimos te oferecer consultoria em proteção de dados trazendo segurança e validação para seus processos!


Nos mande uma mensagem clicando abaixo e vamos conversar!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A LGPD CHEGOU NAS SENTENÇAS JUDICIAIS

SAIU A PRIMEIRA DECISÃO UTILIZANDO A LGPD! Sim, você leu certo, mais precisamente no dia 30.09.20, apenas duas semanas após a lei começar a vigorar, a justiça de São Paulo utilizou fundamentos da Lei